Uma música com um tema bastante interessante onde Renato faz uma analogia entre o Brasil a Europa em período feudal. A letra da música é uma afronta ao governo Collor, quando os direitos autorais das canções ficavam presos e como a Legião Urbana fazia poucos shows, a banda ficou durante muito tempo sem receber dinheiro, indignação esta expressa nos versos:

“Quase acreditei na sua promessa/ E o que vejo é fome e destruição/ Perdi a minha sela e a minha espada/ Perdi o meu castelo e minha princesa”

“E há quem se alimente do que é roubo/ Mas vou guardar o meu tesouro/ caso você esteja mentindo”

Renato, em muitas de suas músicas, coloca o tempo como o senhor de todas as coisas, sustentando a ideia de que o tempo passa e tudo leva embora. Leva a juventude, a beleza, as pessoas. Ex: Pais e filhos, Tempo Perdido, La Nuova Gioventú. Por isso ele canta: ” Tudo passa, tudo passará”.

Fora essa afronta ao governo a ideia de que tudo passará, um trecho da música é muito intrigante, e pode ser um indício de que Renato já estava se rendendo a doença (Aids).LegiaoU
O trecho comenta : “Tenho sentido já dormente, o corpo quer a alma entende” .

Lançada em 1991, no álbum V, “Metal contra as nuvens” sem dúvidas foi uma música muito bem elaborada, com diversas linhas melódicas diferentes, fugindo completamente das músicas mais conhecidas da Legião.

Curiosidade: A música pouco tocou na rádio, pelo fato de ser maior que a “Faroeste Caboclo” com generosos 11 minutos e 30 segundos.