Um disco que era aguardado pelos fãs de heavy metal há quase 35 anos. Escrever sobre um disco do Black Sabbath com a formação original de forma imparcial, não é uma tarefa das mais fáceis. “13”, é o primeiro álbum de inéditas com Ozzy Osbourne à frente dos vocais desde 1978.

Logo de cara, é fato afirmar que “13” não traz nenhuma novidade e não há música que seja um clássico imediato da banda. O fato é que o maior presente que os fãs podem ganhar é o retorno da formação original do Sabbath em grande estilo. O fato de não haver novidades não quer dizer que que o álbum seja ruim, muito pelo contrário, é um disco que supera maiores expectativas.

Todas as faixas apresentadas remetem ao passado mais glorioso de Tony Iommi & Cia. Os riffs magistrais do mestre das seis cordas e o baixo marcante de Geezer Butler, dão a tônica ao trabalho. Mesmo Ozzy, que há alguns anos não está com a potência vocal de outrora surpreende. Destaque também para o baterista Brad Wilk (Rage Against The Machine), que substituiu Bill Ward, não compromete e faz um trabalho satisfatório.

No andar da carruagem, “13” segue o padrão básico, riffs pesados, marcantes e melodias fáceis de se cantar. Alguns ainda querem comparar com “The Devil You Know”, lançado em 2007, com Dio nos vocais. Tamanha comparação não deve ser feita, uma vez que, as formações com Dio e Ozzy soam totalmente diferentes umas das outras.

Destaques mesmo ficam por conta da faixa de abertura “End Of The Beginning”, “God Is Dead? ” (Escolhida para single) e “Zeitgeist”, que na minha opinião, é a melhor faixa do disco, embora algumas resenhas lidas por aí a considerem a pior do álbum.

Mais do que um disco clássico, o que o Black Sabbath mais quis fazer com “13” era dar um presente aos sedentos fãs, sem maiores pretensões na carreira, até porque, todos eles são músicos consagrados e milionários. Essa atitude de respeito deles para com o seu público já é algo louvável e digno de aplausos. Vida longa aos cavaleiros do apocalipse.

FAIXAS:

1 – End Of The Beginning
2 – God Is Dead?
3 – Loner
4 – Zeitgeist
5 – Age Of Reason
6 – Live Forever
7 – Damaged Soul
8 – Dear Father