Uma das principais parcerias da música brasileira, Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, escreveram a canção mais representativa ao sofrimento do povo nordestino. Essa canção foi gravada em 1947 contando todos os problemas vividos, música mais do que atual para os dias de hoje.

A seca do Nordeste que é pano de fundo, é várias vezes mencionada de forma clara e ligam a força encontrada para enfrentar com a religião. Na frase “Quando olhei a terra ardendo / Com a fogueira de São João / Eu perguntei a Deus do céu, ai / Por que tamanha judiação”, e a saudade de sua terra e de Rosinha também é mencionado.

Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga

Essa saudade porque a seca que tanto maltrata, afasta os filhos de sua terra, e como Asa Branca, também bate as asas para encontrar um lugar melhor para viver. “Asa Branca” pode ser um autorretrato de Luiz Gonzaga que com a ajuda de Humberto Teixeira pode colocar de forma clara essas dificuldades. Ela foi escrita em 1945, mas apenas em 1947 foi gravada nos estúdios da RCA Victor. Essa foi a primeira parceria de Gonzaga e Humberto.

“Hoje longe, muitas légua
Numa triste solidão
Espero a chuva cair de novo
Pra mim voltar pro meu sertão”

A Revista Rolling Stone, colocou “Asa Branca” em 4° lugar na lista das “100 Maiores Músicas Brasileiras”. Em 1997 a Academia Brasileira de Letras a deixou em 2° lugar, na lista de “Músicas Marcantes do Século XX”.