Para muitos o divisor de águas do que era o movimento Jovem Guarda para o que vinha ser conhecido como brega romântico. Paulo Sérgio, o cantor do povo, grava em 1968, o compacto com seu maior sucesso da carreira.

Paulo Sérgio, a Esposa Raquel e o Filho Rodrigo

Paulo Sérgio, a Esposa Raquel e o Filho Rodrigo

Paulo Sérgio era conhecido pela mídia como imitador do Roberto Carlos. Sempre estava em programas de sucesso como o Clube do Rock, de Rossini Pinto. Tinha gravado um compacto simples em 1967 com pouco sucesso (‘Benzinho’ e ‘Lagartinha’), tocando um pouco mais no Rio e São Paulo, mas em 1968, com a canção de Carlos Roberto, ele estoura com o mega hit ‘Última Canção’.

‘Última Canção’ contando a história de uma dor do coração (segmento que ele leva até sua morte em 1980), arrebata seguidores fieis. No lado b tem ‘Sorri Meu Bem’, que mais parece o consolo a aquela pessoa, que depois da música ‘Última Canção’ mostra que não voltará mais, enquanto em ‘Sorri Meu Bem’ ele pede para sorrir e esquecer tudo.

A importância desse compacto é a questão da mudança do cenário musical em questão de gosto popular (tropicalismo nunca foi um movimento popular), saíam os brotinhos e vinham os amores perdidos.

“E então você verá o valor que tem o amor
E muito vai chorar ao lembrar do que passou…”

Letra Última Canção

Paulo Sérgio é um grande nome da música, por mais que os críticos não gostem, ele cantava ‘A música que o povo gosta!’, como dizia o eterno apresentador Edson Cury (Bolinha).