Fred Astaire foi tão bom em inúmeros papéis – dançarino, compositor, pianista, baterista, acordeonista, ator, malabarista -, que incluí-lo entre os maiores do século XX pode parecer uma heresia aos mais desinformados e uma tentativa exagerada de elevá-lo a condição de mais completo artista do show business.

Quem conhece pelo menos um pouco da história e os que tiveram a chance de ouvir seus discos e assistir a seus filmes, não se surpreendem ao saber que grandes compositores populares tinham nele o seu cantor favorito.

Até hoje, quando se fala em Fred Astaire, fala-se em dança e não poderia ser diferente, uma vez que ele ainda é o melhor, por excelência e um exímio cantor.