Recentemente o site Tramp postou uma reportagem listando os 150 melhores discos nacionais deste ano de 2015. Um excelente trabalho feito pela equipe Tramp. São muitos os discos bons que foram lançados esse ano em um mesclado importante entre artistas do mainstream e do meio underground. Uma lista para muitos acordarem ao acreditar que não existe música boa sendo lançada. Talvez seja a hora de procurar um pouco mais no meio underground e deixar de ser refém da mídia. Isso também não quer dizer que no mainstream não tenha coisa boa.

 O 45 Rotações, a partir desta lista, resolveu ouvir boa parte dela e listou 5 álbuns de artistas undergrounds e uma breve resenha para vocês! A lista não segue ordem de qualidade. O objetivo deste post é justamente mostrar as músicas undergrounds, mostrar para você leitor, novas opções de bons artistas.


SIBASiba De Baile Solto: O mestre da rabeca, Siba, iniciou sua carreira nos anos 90, fez muitas composições excelentes e importantes participações em discos de outros artistas. Um músico ímpar em atividade. O disco De Baile Solto, é de fato um álbum sensacional, músicas bem trabalhadas e com fortes influências baião, MPB, rock com letras que mostram a beleza do nordeste e da natureza, políticas com muitas críticas, marcando o retorno as suas raízes.

O “De Baile Solto” possui ótimas canções em destaque as faixas ‘Marcha Macia’, ‘Mel Tamarindo’, ‘De Baile Solto’ e ‘O Inimigo Dorme’.

Ouça: Siba – De Baile Solto (2015)


Lucas Arruda – Solar.jpgLucas ArrudaSolar : Mais uma ótima sacada do capixaba, multi-instrumentista Lucas Arruda. Após dois anos do lançamento do seu primeiro álbum Sambadi, Arruda veio com outra grande obra, Solar possui excelentes composições, belo tratamento sonoro e “swing”. Mantendo suas influencias do jazz, soul e funk, “Solar” continua com as mesmas características do primeiro álbum, só que possui mais técnica e uma temática diferente. Infelizmente, Lucas Arruda é mais uma daqueles artistas que somente quem procura no meio underground conhece. Um artista brilhante, com composições capazes de elevar a música a patamares altíssimos, mas o Brasil ainda não reconhece esse fabuloso artista. Atualmente sua fama internacional é maior que a nacional. Solar é um disco que conseguimos ouvir do começo ao fim sem pular uma faixa ao menos. Uma verdadeira revelação da música nacional.

Ouça: Lucas Arruda – Solar (2015)


Rodrigo Ogi – Rá

Rodrigo Ogi: fúria, atitude, consciência e com muita lição de vida é como podemos descrever “Rá”,  o mais novo álbum do rapper Rodrigo Ogi. Integrante do grupo Contra Fluxo, Ogi lançou mais um disco solo e importantíssimo para o cenário hip hop do Brasil. As letras relatam com bastante clareza morte, violência, sexo, abusos policiais e todos os excessos da vida noturna de São Paulo, mostrando que o ambiente periférico apresentado em seu disco anterior de 2011, o “Crônicas da Cidade Cinza”, em nada mudou e o papel do poeta das ruas cada dia mais se faz necessário para que as mazelas do governo e algumas entidades não passem despercebidas e sejam estampados na face da sociedade.

Ouça : Rodrigo Ogi – Rá (2015)


Troco em Bala – AgresteTroco em BalaAgreste: Álbum inaugural da banda maceioense  “Troco Em Bala”, escolhera o título perfeito para seu debut. Compostas de canções de estilo indie rock, o álbum “Agreste” faz alusão a área de entre o sertão e o litoral nordestino. Diferentemente da seca do agreste, o som do álbum é muito vivo e bastante rico. Agreste possui canções ricas tecnicamente, muito bem construídas. O álbum possui uma temática bastante interessante em muitas musicas, relatam muito de passagens em nossa vida, nosso crescimento pessoal, o amadurecimento de ideias e filosofias próprias. Troco em Bala estreia com estilo com lirismo e profundidade. Um disco muito humano capaz de emocionar por muitos momentos.

Ouça: Troco em BalaAgreste (2015)


Jair Naves – Trovões A Me AtingirJair Naves – Trovões A Me Atingir: Novo álbum da carreira solo e independente de Jair Naves, o “Trovões A Me Atingir” é um disco conceitual, com muita qualidade musical, letras que parecem descrever Jair, menos agressivo que seu antecessor, porém igualmente dissonante. Um álbum ao belo estilo de pop rock nacional que há muito tempo não víamos serem compostas.

Ouça:Jair Naves – Trovões A Me Atingir(2015)


Esse foi apenas um top 5 dos melhores álbuns undergrounds lançados em 2015 segundo o 45 Rotações. É sabido que muitos brilhantes artistas ficaram de fora e isso era inevitável. Dessa lista extensa ainda será resenhada muitos álbuns. Quem quiser conhecer a lista inteira acesse o link: http://www.tramp.com.br/cultura/os-150-melhores-discos-nacionais-de-2015/