Mais um clássico do samba que foi eternizado na voz majestosa de Jorge Veiga. A música “Acertei No Milhar”, composta por Geraldo Pereira e Wilson Batista virou um clássico e uma referência do samba nas décadas de 50 e 60.

Samba de raiz, estilo década de 50, linha melódica calma e com letras recitadas como poemas. A voz serena de Jorge que encantou uma legião de fãs de sua época.

“Acertei no milhar!
Ganhei quinhentos contos!
Não vou mais trabalhar!

E me dê toda a roupa velha aos pobres,
E a mobília podemos quebrar!
Isto é pra já!
Plaft! Pleft!

Etelvina,
Vai ter outra lua-de-mel.
Você vai ser madame,
Vai morar num grande hotel!

Eu vou comprar um nome
Não sei onde
De Marquês Jongorge Veiga,
De Visconde,
Um professor de francês, “mon amour”!
Eu vou trocar seu nome
Pra Madame Pompadour!

Até que enfim,
Agora sou feliz!
Vou percorrer a Europa toda
Até Paris!

E os nossos filhos, hem?
Oh, que inferno!
Eu vou pô-los num colégio interno!

E telefone pro Mané do armazém,
(Alô!)
Porque eu não quero ficar
Devendo nada a ninguém!
E vou comprar um avião azul
Para percorrer a América do Sul!

Mas de repente,
Mas de repente,
Etelvina me chamou,
Está na hora do batente!”

A música, típica da época, conta a história de um homem que ganha dinheiro em um sorteio, um conto bem humorado que narra o que o suposto ganhador faria com o prêmio e o que ele deixaria de passar por conta do mesmo.

Uma verdadeira jóia da musica nacional que precisa ser conhecida e mostrada nos dias atuais.