“Em Tudo que É Belo” é mais um daqueles álbuns que certamente mereciam uma atenção maior do grande público. Um disco muito rico em arranjos e técnicas.

Segundo álbum de Jorge Vercillo, lançado em 1996, “Em Tudo Que É Belo” é um disco que mistura de forma bastante sutil, estilos complexos como jazz, soul e funk. Como um verdadeiro disco nacional, não poderia ficar de fora estilos como MPB e o samba.

A faixa “Fácil de Entender” é um reggae raiz, com um leve tom praiano, quase soando como um reggae do Hawaii. A única música do álbum que segue uma linha melódica, ritma e conceitual completamente diferente.

“Quero Dançar”, a primeira faixa do trabalho mostra o que Vercillo viria a se tornar depois. Esta faixa, talvez seja a canção do disco que mais se assemelha com as músicas que posteriormente ele iria compor. Uma música com arranjos de violões composta em notas musicais sofisticadas.

“Sei, talvez eu seja visto
Como ingênuo ou demagogo,
Inocente ou pervertido.
Um hipócrita, um louco.
No entanto eu insisto
Nesta chama que consome,
Eu ainda acredito
Porque sofro com a fome,
Porque ainda sou um homem”.

A canção “Ilusão” é a típica e clássica mistura belíssima de jazz e soul que inúmeros artistas fazem, mas poucos com a mesma maestria que Vercillo fez. Um single muito completo, com letra e harmonia fantástica.

“Em Tudo Que É Belo” faixa-título do disco, é sem dúvida a música mais famosa desse álbum, um violão bastante calmo com a música seguindo em ritmo calmo quase que um transe. Apesar de a canção seguir uma linha tranquila de melodia, a letra é motivacional que te impulsa para frente.

Um álbum que todo amante da música nacional de qualidade deve ouvir ao menos para conhecer. Como dito em outrora, um álbum muito rico em detalhes de gravação, com elementos de outros grandes estilos muito bem gravados. Uma verdadeira jóia!

Faixas:

1 – Eu Só Quero Dançar
2 – Tudo Ilusão
3 – Longe
4 – Fácil de Entender
5 – O Infinito Amor
6 – Oração Yoshua
7 – Raios da Manhã
8 – Mão do Destino
9 – Olha e Não me Olha
10 – Himalaia
11 – Fenômenos da Natureza
12 – Em Tudo que é Belo