Quando uma banda faz um disco de rock, provavelmente temos que ouvir para saber se é bom ou não, mas quando falamos de um disco de rock dos Rolling Stones nem precisamos ouvir, sabemos que é muito bom. E com “Beggars Banquet” não foi diferente. Gravado em Londres, no fim do inverno, ele trouxe a chama de volta à tona.

Voltando a sua linha mais clássica, deixando de lado o psicodelismo que dominava os grandes grupos da época, Mick Jagger e Keith Richards escrevem as canções de forma crua e inspiradora. A única canção que não faz parte da parceria é “Prodigal Son” cover de Robert Wilkins (músico de blues/country), somente violão e voz, bem típica música americana do começo do século XX.

Richards lembra com carinho desse trabalho, foi a partir daí que ele começa a usar o ajuste de cinco cordas abertas, criando mais possibilidades. E Richards estava muito à vontade, como podemos notar em “Stray Cat Blues”, um rock contagiante, para ouvir em um som bem alto. Isso também ocorre em “Street Fighting Man”.

“Mas o quê que um pobre rapaz pode fazer
A não ser cantar em uma banda de rock
Porque na cidade sonolenta de Londres
Não há lugar para um lutador nas ruas!
Não!”

Letra Street Fighting Man

Parte da gravação ocorre também na casa de Richards. E para divulgação do álbum, a banda escolhe produzir um evento para televisão juntamente com John Lennon, Eric Clapton e Jethro Trull. Mas apenas nos anos 90 esse especial vai para o DVD. Na apresentação do Jethro Trull podemos notar a presença de Tony Iommi.

 

Grandes canções fazem parte desse álbum: “Dear Doctor”, “Jig-Saw Puzzle”, “Prodigal Son”, “Stray Cat Blues”, “Street Fighting Man” e o grande sucesso “Sympathy for the Devil”. Essa última é um dos grandes marcos da carreira da banda. Tida para muitos como uma chamada para algo ruim, a canção traz um ponto de vista diferente que muitos pregavam (a cultura do “Paz e Amor”). Um homem que parece não ter identidade, e Jagger e Richards deixam a música insinuar ser uma pessoa misteriosa. É a grande canção.

“Por favor, permita que eu me apresente
Sou um homem de riquezas e bom gosto
Estive por aí por muitos, muitos anos
Roubei a alma e a fé de muitos homens”

Letra Sympathy for the Devil

Alguns instrumentos, que não faziam parte de gravações anteriores, trouxeram um toque ainda melhor. Bandolim em “Factory Girl”, um blues mais cru. Gaita em “Dear Doctor” que alguns momentos, Jagger e Richards fazem lembrar da dupla The Everly Brothers. Guitarra acústica em “Street Fighting Man”. E a Tamboura (espécie de guitarra turca) em Street Fighting Man.

 

O álbum traz inúmeras curiosidades. Mas para resumir é um grande álbum de rock, além de ter sido um sucesso comercialmente. Esse álbum deve ser apreciado.

 

Keith Richards, Brian Jones, Mick Jagger, Ronnie Wood e Charlie Watts

 

FAIXAS

01 – Sympathy for the Devil

02 – No Expectations

03 – Dear Doctor

04 – Parachute Woman

05 – Jig-Saw Puzzle

06 – Street Fighting Man

07 – Prodigal Son

08 – Stray Cat Blues

09 – Factory Girl

10 – Salt of the Earth