“Maria Fumaça” é uma grande salada mista que tem como ingredientes samba, soul, jazz e funk. Liderado por Oderban Magalhães, Black Rio deixou sua marca ao lançar um disco que mostra um swing todo particular. Pegue qualquer música do álbum e você verá a transição de um estilo à outro realizado com muita sutileza e competência.

banda_black_rio

Se alguém pegar o LP em mãos e ler na contra capa, certamente irá para as canções mais concedidas da música popular brasileira, como “Na Baixo do Sapateiro” e “Baião” (músicas de Ary Barroso e Luiz Gonzaga respectivamente) e com toda justiça merecem uma atenção especial. Ao ouvir “Na Baixo do Sapateiro” nem de longe lembra aquela canção melódica que ficou famosa na voz de Dorival Caymmi em 1959, e sim um som todo elétrico e marcado por uma guitarra inicial e depois sendo fundido ao funk. Já em “Baião” a sanfona é substituída pelos saxes, mas não perdendo sua identidade. Outra canção regravada é “Casa Forte” de Edu Lobo.

100_1309

Com muito sucesso, “Maria Fumaça” quebra a linha de que um álbum instrumental não pode ser bom e fazer sucesso, claro que sua grande fama veio com o passar dos anos, e sendo ainda mais valorizado após o anúncio da lista dos 100 Maiores Discos Brasileiros da revista Rolling Stone, onde ele fica em 38° lugar.

Outro ponto que ajudou a alavancar o sucesso do álbum foi a faixa-título ter sido tema da novela “Locomotivas”, fato que no Brasil é importante para um grupo musical. Outros destaques ficam para “Mr. Funky Samba” e “Leblon Via Vaz Lobo” que trazem uma levada muito interessante nos grooves aplicados.

Com muito balanço, swing e cuíca “Maria Fumaça” ficou na história do black nacional com todo o louvor.

tumblr_lxloz62OfF1r9ykrko2_500

FAIXAS

01 – Maria Fumaça

02 – Na Baixa do Sapateiro

03 – Mr Funky Samba

04 – Caminho da Roça

05 – Metalúrgica

06 – Baião

07 – Casa Forte

08 – Leblon Via Vaz Lobo

09 – Urubu Malandro

10 – Junia