Um disco tão incrível que é até difícil escolher por onde começar a elogiar. De longe, para mim, um dos álbuns mais brilhantes da história do rock e da música mundial. Um conjunto de ótimas canções, arte de capa, conceitos e temáticas para ninguém botar defeito.

“Physical Graffiti” foi o álbum divisor de águas em minha formação musical e forma no qual passei a ver as coisas. Esse disco também foi o que me fez a gostar de bandas clássicas do rock, isso há muito tempo atrás.

Voltando ao fenômeno lançado em 24 de fevereiro de 1975, sétimo álbum e duplo. Como dito anteriormente, “Physical Graffiti” possui um papel importante na história da banda e do mundo, pois foi o primeiro álbum editado pela “Swan Song Records”, gravadora criada pela própria banda, onde mostrou uma capacidade inimaginável de produzir álbuns com maestria. Para os mais jovens que não viveram nessa época (Eu, aos 29 anos infelizmente nem era nascido), resta ler incríveis histórias desse fenômeno.

Led Zeppelin, Los Angeles, CA 1975

Led Zeppelin, Los Angeles, CA 1975


Inúmeros críticos musicais de peso citam ” Physical Graffiti” como um dos álbuns mais importantes de todos os tempos. Após o seu lançamento todos os álbuns do Led Zeppelin lançados anteriormente retornaram para lista dos 200 álbuns mais ouvidos na lista da Billboard. Não é preciso dizer também que “Physical” também está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame e 70ª posição da lista de melhores álbuns de todos os tempos da revista Rolling Stone. Nos Estados Unidos, foi certificado com 16 discos de platina, pois é um álbum duplo.

Edifício “Mark's Place” em Nova Iorque, local onde surgiu a capa do álbum.

Edifício “Mark’s Place” em Nova Iorque, local onde surgiu a capa do álbum.

A arte do álbum para mim, uma das melhores que tenho dentre minha coleção de discos de vinil. Uma capa rica em detalhes e muito misteriosa com um ar até sombrio, isso na época impressionou muito os fãs e críticos. Trata-se de uma foto do edifício “Mark’s Place” em Nova Iorque. Além de toda a estrutura do edifício que dar um ar misterioso e nostálgico, lembrando inclusive o edifício “Dakota”, local onde John Lennon foi morto. Analisando a capa, podemos perceber Jimmy Page sentado na escada, conseguimos identificar palavras como “PIG” (Porco em Inglês) e “GRAF”, nome dado às diversas aeronaves no início do século XX, em homenagem a seu construtor. No interior podemos encontrar os integrantes da banda e seu empresário. Uma capa fascinante e cheia de elementos.


Falar em “Physical Graffiti” é falar em um disco muito semelhante a uma coletânea, pois a maior parte de suas canções tornaram-se clássicos campeões de venda no mundo inteiro.

O disco já começa por “Custard Pie”, e seu riff pesado e inesquecível já na introdução.  Canção criada por Jimmy Page e Robert Plant para homenagear o bluesman Robert Johnson. A gaita é tocada por Plant nessa música.

Canções como “In My Time of Dying”, “The Rover”  , Houses of the Holy”  , “Trampled Under Foot”, “Black Country Woman”, “Sick Again”, “Bron-Yr-Aur”  , “Ten Years Gone”  e “Night Flight”  já fazem desse álbum, um apunhado fantástico.

Kasimir a musica mais bem sucedida do álbum Physical Graffiti

Kasimir a musica mais bem sucedida do álbum Physical Graffiti

Mas fora Kashmir a música mais tocada do álbum, e uma das canções mais tocadas da história da banda, sendo considerada também a segunda canção mais bem sucedida da banda ficando atrás apenas de “Stairway to Heaven“.

“Plant” certa vez disse: “Kashmir é a canção definitiva do Led Zeppelin”. E a menciona como sua música favorita. Plant escreveu a letra em 1973 quando se encontrava no deserto do Saara no Marrocos, embora “Kashmir” seja o nome de uma região cultuada mais no norte da Índia, cujo território foi muito disputado entre China, Índia e Paquistão durante cerca de um milênio e hoje possui áreas ainda problemáticas governadas pelos três países. O primeiro título esboçado por Plant foi “Driving to Kashmir”, mas ao colocar no álbum acabou mudando de ultima hora para apenas “Kashmir”.

“Physical Graffiti” certamente fez parte da vida de muitos amantes da banda e do rock clássico e sua lista de grandes premiações estão aí para provar isso de forma bastante sólida. Um álbum verdadeiramente incrível e bem produzido.


 

Faixas Disco 1

1 – Custard Pie

2 – The Rover

3 – In My Time of Dying

4 – Houses of the Holy

5 – Trampled Under Foot

6 – Kashmir

Faixas Disco 2

1 – In the Light

2 – Bron-Yr-Aur

3 – Down by the Seaside

4 – Ten Years Gone

5 – Night Flight

6 – The Wanton Song

7 – Boogie with Stu

8 – Black Country Woman

9 – Sick Again