Um disco e tanto de Maria Bethânia. Lançado em 1978, é um dos melhores álbuns, senão o melhor de sua carreira.

A forma na qual fora construído esse álbum diz muito sobre sua beleza e sua importância. Por inúmeras questões, uma delas foram as belíssimas releituras realizadas de canções de Chico Buarque por exemplo.

Você sabia que Bethânia foi pioneira entre as vendas de discos de vozes femininas? Álibi, de 1978, teve mais de um milhão de cópias comercializadas.

Você sabia que Bethânia foi pioneira entre as vendas de discos de vozes femininas? Álibi, de 1978, teve mais de um milhão de cópias comercializadas.

As canções “O Meu Amor”, “De Todas as Maneiras” são de autoria de Chico  e “Cálice” de Gil e Chico. Todas essas releituras ficaram incríveis na voz de Maria Bethânia.  O fato de ser o primeiro disco de uma cantora brasileira a ultrapassar a marca de 1 milhão de cópias vendidas. Outro fato do, é o nome disco e também da segunda faixa do álbum. “Álibi” é uma canção composta pelo cantor alagoano Djavan.

A faixa “Sonho meu” e dedicada à Nené de Santos Amaro, e conta com a participação da também baiana Gal Costa. O belíssimo dueto realizado junto a Alcione com maestria em “O Meu Amor”, é algo de fato sensacional.

Também não poderíamos deixar de falar da música mais famosa do álbum, composição de Gonzaguinha, “Explode Coração”, que se tornou um hit, tocada em todas as rádios.

Um disco que não consigo pular uma faixa sequer. Muito bem gravado, com elementos de muitos estilos musicais. Elementos esses que são característicos de Maria Bethânia. Álbum que certamente consolidou sua carreira.


Faixas

1 – Diamante Verdadeiro
2 – Álibi
3 – O Meu Amor
4 – A Voz de Uma Pessoa Vitoriosa
5 – Ronda
6 – Explode Coração
7 – Negue
8 – Sonho Meu
9 – De Todas as Maneiras
10 – Cálice
11 – Interior.