“Romaria” é daquelas belas canções em que você mesmo não tendo crença em nenhuma religião é possível se emocionar com a melodia e letra. 

Antes de falar dessa belíssima composição de Renato Teixeira, e que foi eternizada na voz da fabulosa cantora Elis Regina, é preciso entender alguns conceitos que motivaram a sua criação. Romaria trata-se de uma peregrinação religiosa feita por um grupo de pessoas a uma igreja ou local considerado santo, para pagar promessas. O nome é referencia a Roma, sede da Igreja Católica Apostólica Romana e por esse motivo é usada para classificar especialmente peregrinações católicas. Aquele que pratica a romaria é o romeiro. Renato Teixeira, sendo morador de Aparecida já deixa explícita sua crença e inspiração.

“Romaria” é uma das mais belas composições da música nacional. Lançada em 1977 no Álbum “Elis” desse mesmo ano, a faixa ganhou uma grande ascensão no âmbito nacional, por falar da santa católica “Nossa Senhora de Aparecida” (Padroeira do Brasil).

“Romaria” tornou-se uma canção símbolo caipira e ganhou o Brasil após ser cantada no Festival RTP em 1978 por Elis Regina.


ROMARIA

É de sonho e de pó,

o destino de um só

Feito eu perdido em pensamentos

Sobre o meu cavalo

É de laço e de nó de gibeira o jiló

dessa vida cumprida a só

Sou caipira Pirapora Nossa

Senhora de Aparecida

Ilumina a mina escura e funda

O trem da minha vida

O meu pai foi peão,

minha mãe solidão

Meus irmãos perderam-se na vida

Em busca de aventuras

Descasei e joguei, investi, desisti

Se há sorte eu não sei, nunca vi…

Sou caipira Pirapora Nossa

Senhora de Aparecida

Ilumina a mina escura

E funda o trem da minha vida

Me disseram porém

Que eu viesse aqui

Pra pedir em romaria e preces

Paz nos desaventos

Como não sei rezar

Só queria mostrar

Meu olhar

Meu olhar

Meu olhar…

Composição: Renato Teixeira