Muitos lembram dessa canção por ter o mesmo nome da famosa peça de teatro que nos anos 60 foi alvo da Organização Paramilitar CCC (Comando de Caça Comunistas) que invadiu e destruíram o palco e cenário além de terem agredidos os atores. Apenas para registro: a peça não tinha nenhum cunho político, tinha um tema voltado ao ambiente em que Chico vivia.

Agora falando da música, ela foi escrita pelo próprio Chico Buarque, ela ficou com a 3° lugar do III Festival da Música Popular Brasileira que era exibido pela Tv Record que além de Chico era interpretado pelo grupo vocal MPB4. Essa canção foi escrita para a peça, retratando tudo que Chico pensava naqueles tempos. É difícil não associar essa canção as questões políticas que estavam em ebulição no país. Chico nunca assumiu, deixando nossas mentes imaginarem inúmeras situações que poderiam ter levado a escrever essa canção. São tantas as versões que grandes sites já caíram nesse grave erro. De certo apenas podemos associar a canção na peça de teatro. Em 2011 ela foi abertura da novela “Amor e Revolução” do SBT.

“A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir
Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega a roseira pra lá”