Junto com Roberto Carlos e Wanderléa, Erasmo Carlos dominou a cena musical dos anos 60 com a Jovem Guarda. O Tremendão e o Rei podem ser chamados de John Lennon e Paul McCartney brasileiros, por causa da longa parceria que rendeu inúmeros sucessos e um desses clássicos atende pelo nome de “Sentado à Beira do Caminho”, canção lançada em forma de compacto em 1969. A canção é inspirada em um sucesso de Bobby Russel “Honey (I Miss You)”, de 1968.

“Eu não posso mais ficar aqui a esperar
Que um dia de repente você volte para mim
Vejo caminhões e carros apressados a passar por mim
Estou sentado à beira de um caminho que não tem mais fim

Meu olhar se perde na poeira desta estrada triste
Onde a tristeza e a saudade de você ainda existe
Esse sol que queima no meu rosto um resto de esperança
De ao menos ver de perto seu olhar que eu trago na lembrança

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo
Que eu existo, que eu existo”

“Sentado à Beira do Caminho”, conta a história de um homem apaixonado, que vive entre o desespero e a desesperança de alguém sentado na beira de uma estrada aguardando sua amada. A letra também descreve o que acontece na estrada enquanto esse mesmo homem aguarda pela chegada de sua grande paixão, que infelizmente não vem.