Para muitos fãs, o melhor álbum da banda norte-americana Metallica. Um disco fantástico em diversos aspectos, dentre eles, letras temáticas, técnica e a uma imensa quantidade de discos vendidos.

Lançado em 1986, “Master of Puppets” contribuiu com o crescimento do heavy metal no mundo, sendo referência para incríveis bandas que surgiriam após esse ano ou que vinham já nos caminhos dê. Metallica compôs a trilha sonora da adolescência de muitos jovens devido ao som libertador que faziam nas décadas de 80 e início de 90.

“Battery” uma forma brilhante de iniciar um álbum histórico como este, era inserir uma música como “Battery” como primeira faixa. A introdução que te induz a pensar em uma música calma e tranquila, mas ao acabar o som do violão, transforma-se numa imensa pancadaria, cheia de técnicas e com uma bateria que parecia ser tocada de forma furiosa. Sem dúvidas a música mais veloz do disco.

Uma verdadeira obra de arte, é como podemos definir “Master of Puppets”. A lenda viva do metal, ex Black Sabbath, Ozzy Osbourne disse certa vez: “Master of Puppets é o que se fez de melhor na história do Heavy Metal”.


Master of Puppets foi um marco histórico para banda, não somente pelo sucesso, mas também por tristemente ser o ultimo disco gravado por Cliff Burton.

Master of Puppets foi um marco histórico para banda, não somente pelo sucesso, mas também por tristemente ser o ultimo disco gravado por Cliff Burton.

De fato o velho Osbourne estava certo, pois a canção é simplesmente fantástica e foi a preferida do ex- baixista lendário Cliff Burton. Um tema tenso e forte, que fala muito bem das drogas e de como você é manipulado por ela. Seu instrumental é ainda mais fantástico que a temática, ao começar pela introdução marcante. A música possui uma técnica impressionante e uma quebra de tempo antes do solo quase mágica. O single “Master of Puppets” é a faixa mais incrível do álbum em todos os sentidos e merecidamente ganhou o nome do álbum.
“Welcome Home (Sanitarium)” está é a “balada” do disco, com belos arranjos, riff’s e um solo magnifico, uma introdução dedilhada com efeitos típicos das canções da banda. Mas após a quebra de tempo, a mesma mostra sua fria e se torna tão pesada quanto “Battery” por exemplo. A letra relata uma certa prisão da sanidade, ou talvez a prisão em um asilo para doenças mentais (manicômio), indicando uma revolta do sanatório. A cereja do bolo dessa musica é o incrível solo de bateria de Lars Ulrich. Um single e tanto.


O álbum é incrível, e canções como “Disposable Heroes” fantasticamente produzida que viera ganhar uma maravilhosa versão com orquestra sinfônica posteriormente. Para mim a musica mais pesada do disco.

“Master of Puppets” coleciona uma lista extensa de premiações dentre as quais vou destacar as mais importantes como : 6 vezes platina nos Estados Unidos e Canadá, uma vez platina na Finlândia e na Austrália. Fora o primeiro álbum de thrash metal a ser certificado com um disco de platina. O disco recebeu avaliação máxima de criticas profissionais como as famosas “AllMusic”, “Chicago Tribune”,” The Rolling Stone Album Guide” e ” Kerrang!”.

Metallica1986_banda

 


Faixas

1 – Battery

2 – Master of Puppets

3 – The Thing That Should Not Be

4 – Welcome Home (Sanitarium)

5 – Disposable Heroes

6 – Leper Messiah

7 – Orion (Instrumental)

8 – Damage, Inc.