Poucos são os violonistas me emocionam tanto quanto o carioca Carlos Althier de Sousa Lemos Escobar, mais conhecido como Guinga. Em minha opinião um dos maiores compositores que o Brasil tem. Simplesmente um gênio do violão.

Seus acordes lindos e suaves acompanhados de belos arranjos e harmonias quase divinas. Um disco instrumental para sentar e ouvir calmamente se atentando em todos os detalhes, lhe permitindo uma passagem muito sutil para um nível altíssimo elevado da música.

GUINGA2

“Roendopinho” lançado em agosto de 2014 gravado na Alemanha , saiu pelo selo  “Acoustic Music Records”. Após doze discos gravados em sua autoria e inúmeras músicas feitas para grandes nomes da música nacional e internacional,  “Roendopinho” é considerado seu primeiro disco solo e o motivo se deve ao fato das 15 faixas serem totalmente de sua autoria.

A metáfora poética, o título Roendopinho, aliás, foi criado com a justa posição do gerúndio do verbo roer com a palavra pinho (madeira usada para a construção do violão).

Curiosidade: Como dito antes, Guinga é um dos maiores violonistas/compositor e arranjador do Brasil e em sua longa carreira fez composições importantes para  Elis Regina, Cauby Peixoto, Michel Legrand, Sérgio Mendes, Chico Buarque, Ivan Lins, Leila Pinheiro, Ronnie Von.  Outras em parcerias com Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc e Chico Buarque.

Também fez parte de bandas que acompanharam grandes nomes como Clara Nunes, Beth Carvalho, Alaíde Costa, João Nogueira e Cartola.

Um artista que realmente merece ser lembrado e reverenciado.

Faixas

1 – Pucciniana (Guinga, 2014)
2 – Choro breve nº 1 (Guinga, 2014)
3 – Roendopinho (Guinga, 2014)
4 – Anjo de candura (Guinga, 2010)
5 – Picotado (Guinga, 1996)
6 – Igreja da Penha (Carta de pedra) (Guinga, 2006)
7 – Cheio de dedos (Guinga, 1996)
8 – Di maior (Guinga, 1999)
9 – Constance nº 2 (Guinga, 2014)
10 – Unha & carne (Guinga, 2006)
11 – Sargento Escobar (Guinga, 1999)
12 – Funeral de Billie Holliday (Guinga, 2014)
13 – Cambono (Guinga e Thiago Amud, 2013)
14 – Lendas brasileiras (Guinga e Aldir Blanc, 1991)
15 – Ellingtoniana (Guinga, 2012)