Mais um belíssimo álbum do projeto folk rock “City and Colour”, criado pelo músico canadense Dallas Green. Outrora falamos aqui sobre o Sometimes disco de 2004. Mas “The Hurry and The Harm” veio para provar que sempre podemos aperfeiçoar.

Um disco incrível e recheado de ótimas canções.  Produzido por Alex Newport e lançado em 4 de junho de 2013, o álbum teve uma boa aceitação da crítica, vendendo acima de 23.000 cópias somente em sua primeira semana.

“The Hurry and The Harm” a primeira faixa e também titulo do disco, possui uma melodia incrível como costumeira, feita em violão, com belos arranjos que nos leva a ter uma certa nostalgia. A canção traz consigo um tema bastante interessante. Uma reflexão que envolve, perdas, tempos, e recomeço com expressões filosóficas como  o trecho abaixo:

And why are we so worried more about the hurry
And less about the harm?

Mas por que nos preocupamos mais com a pressa
Do que com a dor?

“Harder Than Stone” em uma pegada mais agitada e menos melancólica, possui a presença de guitarras além do violão. Começa com dedilhado mas vai desenvolvendo o ritmo no decorrer da musica.

“Of Space and Time” talvez seja a única canção que possua as traços do disco “Sometimes”. Uma pegada mais voz, violão, cajon e um teclado fazendo apenas o acompanhamento de fundo, que horas intercala com violino. Algo bem acústico e orgânico.

contracapa

“Thrist” é de longe a canção que mais gosto do Ciity and Colour.  Dentre todas as canções já compostas nesse projeto. Uma faixa que fala de Anseio, tormento mediante uma suposta maldição. Se sentir vulnerável, entregue a própria sorte em busca de um abrigo, mas amargurado. Em um programa de TV, Dallas apresentou uma versão ainda mais bacana somente voz e violão. Uma canção e tanto.

“When I think of fates worse than death
All I can think of is something you said
You said we were golden, bright like the sun
And now I am stranded”

“Quando penso em destinos piores que a morte
Tudo que consigo pensar é algo que você me disse
Você disse que éramos ouro, brilhantes como sol
E agora estou preso”

“Take care” em minha humilde opinião é o arranjo mais bem elaborado do disco.  Um arranjo maravilhoso feito apenas em violão e Dallas cantando com voz em efeito de Chorus. Depois de aproximadamente um minudo e 20, a presença bem sutil de um violino apenas de fundo é possível ouvir, logo em seguida voltando apenas a voz e violão.

Um disco fantástico que não se faz necessário pular nenhuma faixa. Canções como “The Lonely Life”, “Commentators”, “Two Coins” e as mencionadas no texto, fazem desse álbum o mais bem produzido de City and Colour. Vale muito a pena curtir esse som!


Faixas

1 – The Hurry and the Harm

2 – Harder Than Stone

3 – Of Space and Time

4 – The Lonely Life

5 – Paradise

6 – Commentators

7 – Thirst

8 – Two Coins

9 – Take Care

10 – Ladies and Gentlemen

11 – The Golden State

12 – Death’s Song


https://open.spotify.com/album/0M9b8EPHYb5lG1WC4STnQk